Quanto é dever muito? Como calcular o limite de endividamento

Algumas pessoas não dormem à noite se tiverem uma dívida de mil reais.
Mas também é certo que, algumas pessoas com uma dívida de 50 mil reais conseguem dormir a noite toda com soninho de bebê.

Frequentemente as pessoas me perguntam: quanto é dever muito? Como saber se estou devendo além do limite? Ou ainda, como posso estabelecer um limite para o endividamento?

Para responder estas questões criei um cálculo simples que chamo de Nível de Endividamento Pessoal.
Para calcular o seu, basta dividir o montante total das suas dívidas pela renda mensal. Vamos a um exemplo: Pedro ganha R$ 1.000,00 de salário e tem dívidas com a financeira do carro, esta utilizando o limite do cheque especial, tem crediário em 2 lojas e deve um dinheiro para o cunhado.

Os números são: Financiamento do Carro = faltam 12 parcelas de 350,00 = R$ 4.200,00(12×350 = 4.200)
Limite do Cheque Especial = R$ 600,00
Empréstimo com parentes:R$ 400 Dívida
Total = R$ 5.200,00 / salario = R$ 1000,00 resultado é 5,2

Fazendo este cálculo com os seus números você terá como resultado o seu próprio nível de endividamento. Agora com o resultado em mãos, compare com o parâmetro oferecido a seguir:

de 0 a 1 = postura ideal, baixo endividamento;
de 1 a 5 = dívida suportável
Acima de 5 = preocupante, dívida que gera alta despesa financeira.

Mas alguém pode questionar: qual é o problema? Eu tenho um nível de endividamento pessoal maior do que 5 e não estou com prestações em atraso nem qualquer outro problema de crédito. Para atender este questinamento informo que o problema está na despesa financeira. A dívida traz consigo uma nova despesa para pesar no orçamento: o pagamento de juros.

Imagine que uma pessoa com salário de 1 mil reais tenha uma dívida de 5 mil reais. Com a taxa de juros média ao consumidor em torno de 4,5% ao mês, ele estará pagando R$ 225,00 por mês apenas de juros. Você acha que é muito? Eu acredito que sim pois não se trata de amortização da dívida, mas apenas a remuneração do dinheiro que ele tomou emprestado. Além das despesas normais da vida (aluguel, água, luz, telefone) ele agora tem um novo item no orçamento: despesa financeira ou o pagamento de juros, que neste caso representaria 22,5% da renda desta pessoa.

Assim, caso sua dívida esteja acima deste patamar, procure organizar sua vida financeira de forma que o pagamento da dívida se torne prioridade e com isto você retire do orçamento uma despesa indesejada e inútil: a despesa financeira.

Um abraço e sucesso financeiro pra você.

Prof. Samuel Marques

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Comentários
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *