Multitarefas: você faz 10 coisas ao mesmo tempo? Cuidado!

Nos dias de hoje, com o volume enorme de estímulos e informações que recebemos, além das exigências crescentes na área profissional, a tentação de tentarmos efetuar várias tarefas ao mesmo tempo, pode ser grande. Mas será que isto é mesmo possível?

A psicóloga e pesquisadora Yuhong Jiang, da Universidade Harvard, comparou imagemens do cérebro de estudantes submetidos a múltiplas tarefas às de outros que reagiam a um único estímulo. O resultado foi desolador. "O cérebro humano é incapaz de processar duas coisas ao mesmo tempo. Além de não ter essa capacidade, ele forma uma "fila" de tarefas que atrapalha a execução geral, provocando erros e atrasos", diz ela. O cérebro até consegue receber diversos estímulos simultâneos. Mas não é capaz de tomar decisões simultâneas. " para assistir à TV e ouvir música ao mesmo tempo", afirma Yuhong. "Mas, se você tiver de julgar a performance do ator e lembrar o título da música, haverá atraso na resposta." Essa opinião começa a se tornar um consenso entre os especialistas. "Ninguém pode prestar atenção a duas coisas simultaneamente", afirma o psiquiatra Edward Hallowell, também médico de Harvard e estudioso do déficit de atenção. "O que as pessoas fazem é ir e vir. Balançam entre uma coisa e outra. Assim você sempre acaba prestando menos atenção em alguma delaas". (retirado do texto de Ana Paula Aranha na revista Época).

Acho que o que devemos sim fazer, é dar mais atenção e valor ao nosso critério de escolha, na hora de decidir como iremos gastar o nosso tempo.

Devemos decidir, dependendo do momento, por duas opções básicas:

Simplificar e Relaxarsentar num local qualquer por uma hora (sala de espera, no banco do carro, no avisão, etc) sem ficar se culpando por não ter nada para fazer. Apenas relaxar, aproveitando para refletir, ler ou escutar música.

Ficar ligado (apenas ligado, não Stressado) – neste, nos organizarmos para aproveitar melhor aquele tempo disponível, lendo relatórios, trabalhando no notebook, organizando a agenda, escutando um curso em CD ou MP3, etc. Terminar de digitar um texto no computador ou organizar seus papéis e documentos enquanto assiste a um programa de TV, também é possível.

A questão é que fazer duas coisas simultaneamente pode até ser viável em determinados casos, mas para isto, uma coisa é certa: você terá um resultado satisfatório se organizar adequadamente suas atividades.

Falarei mais sobre este assunto em outras oportunidades.

Um abraço e boa sorte

Organize-se! Você pode!


Quer saber mais sobre esse tema? Adquira o curso Online "Organize seu Trabalho"

"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Otimizando o tempo: como ganhar 10 horas a mais na semana

Você gostaria de ganhar 10 horas a mais na sua semana de trabalho?

Veja abaixo algumas estatísticas apresentadas em reconhecidas publicações americanas como Office Systems, Forbes e Business and Society Review: (podemos considerá-las válidas para o Brasil):

* O americano médio gastará um ano de sua vida procurando por objetos perdidos em mesas bagunçadas.

* 1 hora de planejamento pode economizar 10 horas de trabalho

* uma pessoa que tem o costume de trabalhar em espaços desorganizados ou mesas bagunçadas, cheias de papel, perde em média 1 hora e meia por dia procurando por documentos e objetos ou ainda sendo distraído por eles. Isso pode chegar a 7 horas e meia por semana!

* Pode custar até US$120 em horas de trabalho para localizar um documento perdido e até US$250 para recriá-lo

Eu poderia colocar mais algumas dezenas de estatísticas aqui para tentar convencê-los da importância que organização pessoal significa, mas acho que todos entenderam a questão.

Quer economizar tempo no seu dia? O primeiro passo é tomar consciência da necessidade de melhorar sua performance e encontrar maneiras de trabalhar de forma mais eficiente e produtiva. Feito isso acredite, tudo o que você precisa é Atitude!
Ah!, e sim, você vai precisar também investir um pouco do seu precioso tempo.

Vamos supor que você tem muita, muita coisa mesmo acumulada para fazer e por conta disto está meio que paralisado, sem saber para onde ir. Em razão da enorme bagunça ao seu redor, está também sem saber por onde começar. Prazos perdidos, projetos atrasados, fogo se alastrando, stress crescendo…

Apesar deste caos (supostamente "controlado"), você pensa que é uma tremenda perda de tempo parar e arrumar toda a "bagunça", até por que isto não funcionou da última vez e não lhe parece muito produtivo tentar novamente.

O que você meu caro amigo, talvez não saiba, é que se quiser realmente mudar esta situação em que vive, precisa considerar a possibilidade de investir um pouco do seu tempo para se organizar melhor. Este é o único caminho. Se não souber por onde começar, procure ajuda nos artigos de nossas e-newsletters, participe de nossos cursos, procure um livro relacionado, contrate até mesmo um profissional para ajudá-lo ou simplesmente navegue por este site diariamente por alguns minutos. Basta implementar simples idéias para se organizar melhor e deixar que aos poucos essas idéias se incorporem ao seu dia de trabalho.
 Os resultados serão imediatos e os benefícios crescentes.

Acesse aqui a calculadora do gasto de tempo, OZ! Calc , e calcule o custo do tempo perdido por você ou pelos funcionários na sua empresa.

Qualquer coisa que você possa fazer para melhorar sua organização irá fazer diferença para a melhoria da sua produtividade, melhor gerenciamento do seu tempo e também para a proteção do seu bolso.

Hábitos básicos como utilizar a agenda de forma plena, possuir um sistema de arquivos adequado, trabalhar num espaço organizado, ter o costume de planejar seu trabalho e suas tarefas ou utilizar os recursos da tecnologia de forma eficiente, podem fazer toda a diferença do mundo.

Às vezes escuto pessoas dizendo " preciso me organizar melhor, quando tiver um tempo vou fazer isso".

Minha resposta é: Este tempo disponível não vai cair do céu, ele deve ser criado. Depende apenas de uma atitude sua.

 

Organize-se! Você pode!

 


Quer saber mais sobre esse tema? Adquira o curso Online "Organize seu Trabalho"

"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Tempo x atividades: como organizar melhor o seu tempo

Descubra quanto tempo você gasta nas suas atividades diárias, analise quais são seus maiores desperdiçadores de tempo e planeje como aumentar o tempo disponível para fazer aquilo que realmente importa para você.

Etapa 1 – Descubra

* Para o preenchimento da tabela, considere as atividades realizadas de segunda a sexta, durante as 24 horas do dia.

* Anote apenas os tempos médios que você gasta normalmente. Se por exemplo, costuma sair para visitas externas apenas eventualmente, não considere este tempo ou considere apenas a média mensal total e divida pelos dias úteis do mês.

* Atividades de lazer, estudos e cursos, desenvolvimento de projetos e outras tarefas produtivas ou que lhe dão prazer, não devem ser computadas neste quadro. A ideia aqui é calcularmos a quantidade de horas que gastamos em atividades básicas, obrigatórias, improdutivas ou inevitáveis para que possamos saber quanto tempo nos resta para fazer aquilo que realmente importa.

Veja o exemplo abaixo:

Agora que você entendeu como deve preencher a tabela,
clique aqui para fazer a sua !

 

Etapa 2 – Analise

* Ok, agora que você sabe quanto tempo gasta e de que forma, na próxima etapa terá condições de fazer um planejamento para ganhar mais tempo na sua vida. Então vamos !

Etapa 3- Planeje

* Com as orientações fornecidas nesta seção, você tem plenas condições de otimizar o uso do seu tempo, aumentando o número de horas disponíveis para você. Tome esta atitude! Garantimos que vale a pena!

 


Quer saber mais sobre esse tema? Adquira o curso Online "Organize seu Trabalho"

"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

24 horas de Adrenalina: como utilizar o nosso tempo

Meia-noite. Você é um agente especial do governo americano, chefe da unidade anti-terrorismo de Los Angeles e acaba de jogar uma partida de xadrez com sua filha. Esta agradável atmosfera familiar é perturbada momentos depois, quando sua filha desaparece pela janela de seu quarto.

Antes de poder sair à sua procura, você recebe uma ligação para ir ao trabalho cuidar de uma emergência, deixando sua esposa sozinha na busca da menina. A noite só fica pior quando você toma conhecimento de que existe um plano para assassinar um Senador, candidato à presidência, nas próximas 24 horas.

Você e sua equipe têm que lutar contra o tempo para descobrir quem está por trás da trama de assassinato e para piorar as coisas de vez, chega a notícia que sua filha e sua esposa foram seqüestradas.

Em seguida descobre que se não cumprir a ordem de terroristas internacionais, para pessoalmente assassinar o senador, em algumas horas, elas serão mortas. Ao mesmo tempo mais uma notícia chega a você. Existe um traidor no departamento, que pode comprometer toda a operação.

A partir daí é pensar rápido, optar por alternativas arriscadas a cada minuto, descobrir quem é o traidor, encontrar sua filha e sua esposa, fingir que vai matar o senador tentando enganar os seqüestradores para ganhar mais tempo.

Parece loucura, mas é esta a situação vivida por Jack Bauer ( interpretado pelo ator Kiefer Sutherland ) na primeira temporada do seriado televisivo chamado 24 Horas, passado recentemente no Brasil e já lançado também em DVD.

Com uma temporada de 24 episódios que acontecem integralmente no período de 24 horas o público vivencia cada momento de suspense e Stresse junto com o agente Jack Bauer, à medida que ele passa por angustiantes 24 horas de crises pessoais e profissionais.

O seriado que foi premiado nos USA , é realmente sensacional e prende a atenção até o final. Sei de muita gente que ficou acordado várias vezes só para não perder nenhum capítulo que passava na TV tarde da noite.

Mesmo considerando algumas situações inverossímeis inerentes a um filme deste tipo, podemos ter uma boa idéia de quanta coisa pode acontecer e ser administrada em 24 horas.

Pois bem, eu comprei o DVD da série e assisti num único dia (um belo domingo tranqüilo e chuvoso) a 6 capítulos seguidos, sem intervalo, o que equivaleu a 5 horas e meia reais e integrais (existe uma pequena diferença relativa aos comerciais pois o seriado foi feito originalmente para a TV). Como a série prende totalmente sua atenção, você consegue ter uma sensação bastante real do valor daquelas quase 6 horas. É quase como se as tivesse vivenciado.

Incrível é imaginar que este tempo de 6 horas, um quarto do total do filme, é em média menos do que costumamos ter disponível para nossas tarefas produtivas num dia de trabalho – veja o teste "Como você gasta seu tempo" .

O que quero aqui mostrar é como o contraste da situação extrema do uso do tempo, vivida pelo protagonista do filme, em contraponto à situação que muitos de nós vivemos, de um dia improdutivo, pode ser uma experiência de reflexão bastante interessante sobre como utilizamos as 24 horas de tempo que temos à nossa disposição diariamente.

Será que não podemos utilizá-las um pouco melhor, alcançando uma maior produtividade e satisfação pessoal? Ganhar algumas horas extras para fazermos coisas que realmente importem para nós pode incrementar e muito nossa qualidade de vida.

De qualquer maneira eu gostei da experiência e pretendo repetí-la, desta vez por mais tempo ainda. Para quem estiver interessado, o DVD com a segunda temporada da série, também já foi lançado e a terceira temporada está sendo apresentada na TV Globo. É só conferir.

José Luiz S. Cunha é engenheiro, empresário na área de informática e consultor em organização na OZ! Sistemas de Organização.

 


Quer saber mais sobre esse tema? Adquira já o curso Online "Organize seu Trabalho"

"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

24 horas de adrenalina: como utilizar melhor o nosso tempo

Meia-noite. Você é um agente especial do governo americano, chefe da unidade anti-terrorismo de Los Angeles e acaba de jogar uma partida de xadrez com sua filha. Esta agradável atmosfera familiar é perturbada momentos depois, quando sua filha desaparece pela janela de seu quarto.

 

Antes de poder sair à sua procura, você recebe uma ligação para ir ao trabalho cuidar de uma emergência, deixando sua esposa sozinha na busca da menina. A noite fica pior quando você toma conhecimento de que existe um plano para assassinar um Senador, candidato à presidência, nas próximas 24 horas.

Você e sua equipe têm que lutar contra o tempo para descobrir quem está por trás da trama de assassinato e para piorar as coisas de vez, chega a notícia que sua filha e sua esposa foram seqüestradas.

Em seguida descobre que se não cumprir a ordem de terroristas internacionais, para pessoalmente assassinar o senador, em algumas horas, elas serão mortas. Ao mesmo tempo mais uma notícia chega a você. Existe um traidor no departamento, que pode comprometer toda a operação.

A partir daí é pensar rápido, optar por alternativas arriscadas a cada minuto, descobrir quem é o traidor, encontrar sua filha e sua esposa, fingir que vai matar o senador tentando enganar os seqüestradores para ganhar mais tempo.

Parece loucura, mas é esta a situação vivida por Jack Bauer ( interpretado pelo ator Kiefer Sutherland ) na primeira temporada do seriado televisivo chamado 24 Horas, passado recentemente no Brasil e lançado também em DVD.

Com uma temporada de 24 episódios que acontecem integralmente no período de 24 horas o público vivencia cada momento de suspense e Stresse junto com o agente Jack Bauer, à medida que ele passa por angustiantes 24 horas de crises pessoais e profissionais.

O seriado que foi premiado nos USA , é realmente sensacional e prende a atenção até o final. Sei de muita gente que ficou acordado várias vezes para não perder nenhum capítulo que passava na TV tarde da noite.

Mesmo considerando algumas situações inverossímeis inerentes a um filme deste tipo, podemos ter uma boa idéia de quanta coisa pode acontecer e ser administrada em 24 horas.

Pois bem, eu comprei o DVD da série e assisti num único dia (um belo domingo tranqüilo e chuvoso) a 6 capítulos seguidos, sem intervalo, o que equivaleu a 5 horas e meia reais e integrais (existe uma pequena diferença relativa aos comerciais pois o seriado foi feito originalmente para a TV). Como a série prende totalmente sua atenção, você consegue ter uma sensação bastante real do valor daquelas quase 6 horas. É quase como se as tivesse vivenciado.

Incrível é imageminar que este tempo de 6 horas, um quarto do total do filme, é em média menos do que costumamos ter disponível para nossas tarefas produtivas num dia de trabalhoveja o teste "Como você gasta seu tempo" .

O que quero aqui mostrar é como o contraste da situação extrema do uso do tempo, vivida pelo protagonista do filme, em contraponto à situação que muitos de nós vivemos, de um dia improdutivo, pode ser uma experiência de reflexão bastante interessante sobre como utilizamos as 24 horas de tempo que temos à nossa disposição diariamente.

Será que não podemos utilizá-las um pouco melhor, alcançando uma maior produtividade e satisfação pessoal? Ganhar algumas horas extras para fazermos coisas que realmente importem para nós pode incrementar e muito nossa qualidade de vida.

De qualquer maneira eu gostei da experiência e pretendo repetí-la, desta vez por mais tempo ainda. Para quem estiver interessado, o DVD com a segunda temporada da série, também foi lançado e a terceira temporada está sendo apresentada na TV Globo. É conferir.

 

*José Luiz S. Cunha é engenheiro, empresário na área de informática e consultor em organização na OZ! Sistemas de Organização.
 


Quer saber mais sobre esse tema? Adquira o curso Online "Organize seu Trabalho"

"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: http://www.organizesuavida.com.br/.
Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

11 Maneiras de curar a “síndrome do qualquer dia eu faço”

Toda mundo sofre da "Síndrome de Qualquer Dia", em algum momento da vida, muitas vezes repetidamente. Provavelmente algo semelhante aconteceu com você: um projeto, uma tarefa, um objetivo – que acabou por não ter tempo para começar. Certo?

Podíamos todos usar o slogan da Nike e dizer: Just Do It!, mas se fosse assim tão simples a Síndrome de Qualquer Dia não existia.

Como superar a Síndrome de Qualquer Dia.

1. Seja você mesmo.
Este é o primeiro mandamento para se ser feliz. Talvez não esteja a fazer alguma coisa, porque, na realidade, ela não se encaixa com quem realmente é. Se assim for, esqueça esse projeto e as expectativas que o acompanham. Pense em algo que realmente seja adequado a si e à sua vida.

2. Livre-se do que não é importante.
Se não sabe o que é melhor para si, isso quer dizer que a sua mente e as emoções estão desordenadas. Ou seja, se a sua mente está um caos, como pode tomar uma decisão clara e racional para se livrar do pensamamento "qualquer dia"? A desordem de que estou a falar incluí os pensamentos negativos (como pensar que não é capaz), ou atitudes negativas (Eu sou demasiado preguiçoso para levar este projeto até ao fim).

3. Saiba o que quer. E porque o quer.
Se está no processo de curar o Síndrome de "Qualquer Dia" , precisa saber mais sobre os seus desejos, e quais as razões por trás deles. E se não sabe como o fazer, a blogosfera está cheia de blogs prontos a ajudá-lo a descobrir os seus sonhos.

4. Faça um grande plano.
Digo "grande" porque este é o plano geral. Mas não se deixar levar. Planejar pode fazê-lo sentir-se como se já estivesse em ação, mas não é diferente de falar sobre o asunto. Até que realmente faça alguma coisa, continua a adiar. Começar é mais importante do que demorar muito tempo em planos detalhados.

5. Um passo de cada vez.
Os únicos detalhes que precisa definir neste momento são os suficientes para começar. Não fique sobrecarregado com detalhes. Quando olhar para o panorama geral não vai ver apenas alguns detalhes – Vai ver todos, e isso pode ser esmagador. Concentre-se apenas nas próximas duas ou três coisas que precisa fazer. É o suficiente.

6. Ignore o resto.
Exatamente. Ignore tudo o resto no seu objetivo exceto aquilo em que está a trabalhar. Muitas vezes comparamos a situação aual, relativamente ao que queremos, como forma de adiar. Embora fazer o ponto da situação seja sempre uma coisa boa, podemos fazê-lo de cada vez que uma tarefa esteja concluída, e não no meio da tarefa.

7. Peça ajuda.
Uma boa maneira de descobrir se os nossos objetivos vão realmente fazer-nos felizes é conversar com outras pessoas que o tenham feito.

E tente ter o menos trabalho possível, se alguém já tiver feito o trabalho – por exemplo se o seu objetivo for correr a maratona procure um plano de treino já elaborado que se adapte a si mesmo, em vez de criar o seu – não há necessidade de desperdiçar o seu tempo a criar algo que já existe.

8. Não compare.
Tenha cuidado quando pedir ajuda, porque o que funciona para alguém pode não funcionar da mesma maneira consigo, não compare os seus resultados com os dos outros, não vai tirar nada de positivo daí.

9. Esteja desconfortável.
Muitas vezes acontece estarmos terrivelmente infelizes, mas estamos tão confortáveis e habituados a essa situação que não fazemos nada quanto a isso. A felicidade é um risco, mas a situação actual, mesmo sendo dolorosa é segura. O que prefere? Sentir-se confortável na dor e infelicidade ou desconfortavelmente feliz? Eu vivo a minha vida da segunda forma e recomendo que escolha sempre a opção desconfortável.

10. Celebre o processo, bem como o fim.
Não significa fazer uma festa de cada vez que faz uma tarefa, mas que reconheça o seu progresso. Converse com as outras pessoas que sabem dos seus planos e conte-lhes os seus progressos. Esta partilha também inspira outros e ajuda-os a mudar as suas próprias atitudes e a parar de adiar e atingir os seus objetivos.

11. Não pare quando se tornar fácil.
É importante ir mais longe do que primeiro pensou. Quando estiver no caminho certo, dando um passo de cada vez, introduza uma meta inesperada, para adicionar energia, entusiasmo e um pouco de medo ao seu objetivo. Acredite, que pouco de medo provavelmente será o melhor motivador que alguma vez encontrará.

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Introdução Trabalho > Produtividade

manutenção das ferramentasEstamos sempre tomando decisões sobre como administrar melhor a forma de dispor do nosso tempo. E também nos deparando com as conseqüências dessas decisões. Muitas vezes não gostamos delas em virtude da lacuna entre a maneira como usamos nosso tempo e o que acreditamos ser realmente importante em nossas vidas.

Tudo isso porque somos regidos por duas forças poderosas:O RELÓGIO, que representa os compromissos, as reuniões, os horários, as metas e as atividades (como GERENCIAMOS nosso tempo) e a BÚSSOLA, que representa nossa visão, valores, princípios, missão, consciência e direção (como CONDUZIMOS nossa vida em direção ao que é importante).

Aqui você vai encontrar informações através de matérias, dicas e outras ferramentas que podem ser úteis na hora de melhorar a sua maneira de gerenciar o seu tempo.
Tudo isso porque somos regidos por duas forças poderosas:O RELÓGIO, que representa os compromissos, as reuniões, os horários, as metas e as atividades (como GERENCIAMOS nosso tempo) e a BÚSSOLA, que representa nossa visão, valores, princípios, missão, consciência e direção (como CONDUZIMOS nossa vida em direção ao que é importante).

Aqui você vai encontrar informações através de matérias, dicas e outras ferramentas que podem ser úteis na hora de melhorar a sua maneira de gerenciar o seu tempo.

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

Metas de ano novo

Uma primeira história, que já citei algumas vezes, pela simplicidade e elegância em ilustrar como o prazer e o amor podem transmutar o sentido da disciplina, servirá para nos oferecer uma nova luz à compreensão dos nossos hábitos, validando talvez, aquilo de que reclamamos. Era o caso de uma mulher, crítica literária de profissão, que em uma reportagem de jornal, afirmava que sua vida tinha começado aos 40 anos de idade! Após uma grande reflexão sobre sua vida, profissão de ler e comentar livros, chegou à simples conclusão que não tinha lido metade dos livros de sua biblioteca naquela ocasião de seu quadragésimo aniversário! No entanto, chegou à conclusão que já tinha vivido aquilo que imaginava ser a metade de sua vida, estimada durar oitenta anos. Isso a forçou tomar uma importante decisão, pois não lhe seria possível ler todos os livros que faltavam no tempo que imaginava ser o restante de sua vida.

Nesse momento estabeleceu um critério para selecionar suas leituras dali em diante: leria apenas o que lhe desse prazer! Se começasse a ler um livro enfadonho ou desagradável, o abandonaria, pois certamente havia muitos outros à sua espera! Assim, concluía sua entrevista, é que começou a viver verdadeiramente, obtendo ainda mais prazer de sua profissão, quando completara 40 anos!

Prosseguindo um pouco mais sobre as decisões, tenho um amigo que parou de fumar num certo feriado em que, tendo acabado todos os seus cigarros, saiu para comprar e não encontrou o comércio aberto! Com o seu desespero crescente, graças à abstinência, voltou para a casa a busca de ‘bitucas’ de cigarro nos cinzeiros, foi quando pela primeira vez constatou que fora escravizado pelo tabagismo. Essa conclusão visceral foi o suficiente para decidir que nada poderia ter tal controle sobre si mesmo. Na semana seguinte, parou de fumar definitivamente!

Por último, um exemplo bastante próximo: minha esposa! Embora possua uma versatilidade invejável, seja extremamente bem dotada e sábia, costuma dizer que a disciplina só entrou em sua vida graças à mim! Que nunca tivera disciplina e que sua preguiça representa verdadeiramente um grande desafio. E todo aquele “lero-lero” que ouvimos normalmente das pessoas que dizem ser dispersivas ou indisciplinadas!

De fato, eu sou bastante disciplinado, além de auto-didata, as várias competências que possuo foram construídas com muita dedicação, esforço e disciplina. Entretanto, essas qualidades somente se manifestam com aquilo que busco para minha satisfação pessoal! Curiosamente, tudo o que busquei e aprendi por prazer transformou-se em alternativa profissional; assim tornei-me instrutor de tênis, instrutor de Tai Chi, consultor em psicologia do esporte e aprendizagem, comerciante de artigos esportivos, hipnólogo, palestrante, escritor, editor de livros, consultor editorial e terapeuta. Apesar de tudo isso, nunca consegui fazer o que ela fez e faz! Ela afirma que não tem disciplina… No entanto, possui uma carreira extremamente planejada, escova os dentes três vezes por dia, três refeições por dia e, principalmente, reza todos os dias logo que acorda e antes de dormir! TODOS OS DIAS há mais de trinta anos! Isso sim é uma disciplina invejável!

De fato, a questão que eu desejo abordar é que não precisamos disciplina para fazer aquilo que REALMENTE GOSTAMOS ou QUEREMOS! Além disso, se você ainda não se convenceu de que pode ser mais compassivo e compreensivo para consigo mesmo, pense no seguinte: talvez você esteja bem disciplinadamente praticando a indisciplina! Assim sendo, a grande novidade é que: há formas de utilizar essa sua disciplina em outros contextos de vida!

Será que é preciso disciplina para comer, beber água ou dormir? Vou propor uma pequena experiência: nos próximos dias, observe com bastante atenção o que você pensa, imagina ou sente quando está visceralmente disposto a beber água ou comer. Isto é, preste atenção às suas sensações para responder a seguinte pergunta: como você sabe que é hora de beber água, comer ou dormir? Quais são as evidências sensoriais ou subjetivas? Ou, se preferir, pode avaliar: como você sabe que é hora de fazer aquilo que gosta, quer ou deseja?

Nas minhas pesquisas sobre aprendizado, certa vez, decidi me tornar canhoto! Isso mesmo, eu era um destro convicto até então… De fato, eu fiz um grande planejamento para desenvolver essa habilidade e já faz dez anos que iniciei esse empreendimento. Eu diria que hoje sou quase um ambidestro treinado: eu escovo os dentes, jogo tênis, escrevo e seguro os talheres nas refeições com a mão esquerda, essas eram as quatro metas principais do meu plano de ação para desenvolver essa nova habilidade.

Posso garantir que a preguiça de exercitar venceu algumas batalhas dessa guerra, e teria de fato vencido a guerra, se não houvesse um sentido maior para enfrentar tal desafio. Sem contar com os resultados inesperados obtidos ao longo do caminho: pude aprender muito sobre aprendizagem e sobre transformações de identidade motora. Isso ainda me proporcionou subsídios para a construção do modelo de aprendizado que utilizo atualmente em meus trabalhos e pesquisas!

Somente hoje, depois de ter assumido tal desafio, posso compreender os benefícios das tímidas e inseguras tentativas iniciais. Evidentemente, tal decisão esteve associada a uma certa insatisfação com o que conhecia até então, por isso escolhi algo diferente. Esse é um outro importante artifício para atravessar o “rio da preguiça”: a prática de apenas um pouquinho todos os dias.

Quando conheci Robert A. Wilson, um importante escritor norte-americano, ele dizia que tinha como meta escrever apenas uma página por dia! Se descansasse nos finais de semana, durante o ano teria produzido 250 páginas, ou seja, um livro ou dois por ano! E quanto tempo leva para escrever uma página?

Como estudioso do aprendizado de idiomas, sabemos que a língua falada no dia-a-dia constitui-se de um repertório de aproximadamente apenas setecentas palavras. Um bom falante de idiomas estrangeiros possui um vocabulário ativo de três ou quatro mil palavras. Pense nisso, se aprender apenas uma palavra nova por dia, somente uma, em dois anos você conhecerá um idioma novo e em oito anos pode ser um excelente falante desse idioma! (Se você estiver interessado nesse processo gradual, tranquilo e divertido de aprender inglês, envie um e-mail para: ef2-subscribe@yahoogroups.com para receber uma história ou piada por dia para estudar inglês de uma forma prazerosa).

Creio que um pouco de exagero ou megalomania possa comprometer uma grande jornada. Há muitas pessoas que se aprisionam na atitude do “tudo ou nada”, desperdiçando algumas possibilidades simples de cultivar suas “sementes” de novas habilidades ou competências.

Precisamos ainda compreender num contexto mais amplo e de maior imparcialidade, justiça e isenção, que muitos julgamentos aprendidos socialmente não contribuem muito para que desejemos nos auto-conhecer, principalmente na medida em que nos façam sentir culpados ou inadequados. Numa perspectiva evolutiva de gerações, creio que você concorde que a humanidade já caminhou muito em direção à civilidade. Avaliando o desenvolvimento das qualidades humanas que nos diferenciam do barbarismo, talvez você conclua, como eu concluí, que a sede espiritual seja normalmente proveniente de uma grande insatisfação (assim parece ser para as mentes mais iluminadas da humanidade, todos eles, antes da realização, acumulam em suas histórias alguns fracassos, sombras e superação de grandes desafios).

Essa poderia ser então uma equação aceitável: que a insatisfação seja também o germe da realização? Bom se assim for, possivelmente você concorde comigo que essa cadeia seja até mais longa, sendo que o germe da insatisfação talvez sejam os desejos insatisfeitos, o anseio, cuja semente seja a ambição, para alguns, gerada talvez, até mesmo pela cobiça ou pela inveja! É verdade, realmente acredito que muitas das nossas melhores qualidades possuam, como sementes primitivas, alguns de nossos piores defeitos ou sombras! Entretanto é importante compreender que nessa perspectiva de tempo mais ampla, levando em conta o amadurecimento e a evolução dos motivos e sentimentos numa escala racial, nossos julgamentos se afrouxam, criando espaço emocional e psicológico para a auto-aceitação e o auto-respeito. Essas sim, podem ser importantes atitudes que nos ajudem no empreendimento de uma jornada de auto-conhecimento em busca de mais disciplina, ou o que quer que você deseje!

Conclusão

Embora a disciplina possa ser uma importante qualidade para obtermos aquilo que desejamos, creio que existam outros ingredientes que possam, em “receitas” e combinações diferentes, proporcionar muitos dos resultados compatíveis com aqueles obtidos por disciplina. Além disso, muitas das pessoas que se consideram indisciplinadas, são extremamente disciplinadas em manter a sua indisciplina, o que não é apenas um jogo de palavras, já que podemos reorientar essa motivação para obtermos aquilo que nos propomos.

 

Fonte: Walter Hermann
http://www.mapasmentais.com.br
IDPH – Instituto do Desenvolvimento do Potencial Humano

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato.”